“Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos…” os produtores rurais de Brazlândia e Alexandre Gusmão tem morangos, muitos morangos. Nesse momento é chegada a hora de festejar a produção e o sucesso da safra, que pode alcançar 4,6 mil toneladas este ano – em torno de 15 milhões de caixinhas da fruta. Os morangos produzidos no Distrito Federal abastecem a mesa de brasilienses e de brasileiros em quase todo o país. O DF disputa o sexto lugar da produção nacional entre os Estados produtores da fruta.

Dias quentes, noites frias, baixa umidade e altitude elevada são condições perfeitas para o cultivo de morangos. Na região de Brazlândia, 120 produtores da fruta buscam aliar as características climáticas favoráveis ao desafio de prolongar a safra.

O objetivo é ter oferta do produto não só entre maio a outubro, mas também, durante o período de entressafra. Para isso, trabalham a terra a fim de proporcionar um local adequado ao desenvolvimento das mudas, compradas de agricultores de São Paulo, Minas Gerais e de países mais frios, como Argentina e Chile.

A produção de morangos de Alexandre Gusmão e Brazlândia começou na década de 70. Os japoneses que migraram para a região com o objetivo de cultivar e fornecer produtos agrícolas à capital trouxeram as primeiras mudas. De início o cultivo era tímido e rudimentar. Naquela década, os riscos eram maiores, pois os agricultores não contavam com as técnicas e com a tecnologia empregadas hoje. Atualmente a fruta tem um excelente preço e muitos produtores se dispõem a enfrentar os desafios de cultivá-la.

Evolução

Na década de 80, o número de agricultores dispostos a produzir a fruta aumentou. A Emater/DF capacitou técnicos para apoiá-los e a cultura começou a evoluir. Na década de 90, os japoneses não eram mais os únicos a plantar morango. Agricultores brasileiros que migraram de diversas partes do Brasil também começaram a cultivar o produto na região de Brazlândia. Como a rentabilidade das hortaliças teve uma queda, o morango passou a ser visto como uma boa alternativa para estes que se arvoraram no plantio da fruta.

Continuidade

A Emater tem assessorado e vem buscando capacitar os produtores de morango da região e a produção tem crescido, assim como a qualidade da fruta, que tem melhorado a cada ano. Hoje, 5,1 milhões de pés de morango são plantados na região agrícola de Brasília. A grande mudança no cultivo dessa fruta ocorreu nos últimos dez anos. O uso de túneis que protegem a planta das chuvas, os sistemas de irrigação, fertirrigação e, principalmente, a introdução de novas variedades da fruta morango, contribuíram para a popularização do produto. Essas mudanças fizeram com que o morango produzido na região do Distrito Federal, principalmente de Brazlândia, seja referência nacional.

De acordo com dados percentuais da Emater/DF, 90% dos produtores usam a agricultura familiar como base para a produção. Mas a região conta, também, com produtores de médio porte. A cultura do morango é muito bonita, pois além de ser tornar um agronegócio, promove o desenvolvimento social. Ela emprega muita gente por exigir mão-de-obra em todas as suas etapas. Apesar das propriedades não serem grandes, as famílias necessitam de pessoas para ajudarem no cultivo, na colheita, na seleção e no empacotamento do produto. Os agricultores chegam a empregar 12 pessoas ou mais por hectare, no período do cultivo do morango.

Alguns produtores optam por contratar meeiros, que chegam a compartilhar até 30% dos lucros. Alguns arrendam terras vizinhas para produzir mais e conseguir atender a demanda, pois não é aconselhável que o morango seja plantado no mesmo local todos os anos – essa é uma dica dos técnicos agrícolas.

A busca por uma boa colocação no mercado produtor nacional

O Distrito Federal disputa a sexta colocação nacional na produção de morangos. No entanto, a qualidade do que é produzido aqui não fica atrás de nenhum estado. De acordo com os técnicos da Emater, as condições climáticas ajudam muito. “Temos um conjunto muito favorável de fatores. A altitude, por exemplo, é importante para a planta. A variedade também é fundamental”, explicam.

Todos os anos, agricultores testam novos tipos de morangos, de matrizes desenvolvidas em várias partes do mundo, principalmente pelas Universidades da Flórida e da Califórnia (EUA). Tudo para produzir frutos melhores, mais saborosos, bonitos e resistentes, pois o morango é muito sensível e necessita de tratamento qualificado no plantio e colheita.

Atualmente, as três principais variedades cultivadas são a Oso Grande, Dover e Sweet Charlie. Muitos produtores estão apostando na produção da variedade Earlibrite e no Camarosa. A Oso Grande também deve continuar no mercado, por ser tradicional e possui grande procura no mercado.